terça-feira, 21 de março de 2017

E foi assim...

A nossa primeira experiência com outros casais é um assunto recorrente de conversa.

Explorávamos o assunto do swing há algum tempo. Líamos tudo o que podíamos sobre o assunto, e falávamos com outros casais na internet. Alguns na mesma situação, outros já com alguma experiência. Marcámos cafés com alguns e foram muito interessantes. Era curioso sentir o nervosismo como se voltássemos a ser adolescentes. Era muito excitante.

Era também uma desilusão. Por vezes as pessoas não eram bem como as imaginávamos. Aprendemos a moderar as expectativas.

Mas uma vez num clube conhecemos um casal muito interessante com muitas coisas em comum. Já andavam nisto há algum tempo. Apresentaram-nos outros dois casais, das nossas idades e também muito interessantes. Face à nossa inexperiência e hesitação em dar um grande passo, convidaram-nos para um dos quartos. Para ver apenas, sem compromissos.

Aceitámos.

Ficámos juntos enquanto aqueles corpos se beijavam e se despiam. Enquanto as mãos se tocavam e acariciavam outros corpos. Começaram dois a dois, mas rapidamente se reorganizaram.

Uma delas tinha a atenção de dois homens. Estavam sentados enquanto beijava um enquanto o outro a abraçava e lhe sentia o corpo. Ela punha as mãos dentro dos boxers e sentia como eles estavam excitados.O outro grupo estava deitado. Beijavam-se os três alternadamente.

Nós apenas observávamos. Estava a ser tremendamente excitante.

A cena continuava a desenrolar-se, até que subitamente uma mão tentou puxar a A. para junto do grupo. Ela hesitou, mas dado o nível de excitação não ofereceu muita resistência. Despiu a roupa que ainda tinha e tornou-se o centro das atenções de todos. Eu fui também muito bem recebido.

Foi tudo muito suave e sem pressões. Fizemos o que nos sentimos confortáveis.  Foi uma primeira experiência que deixou muitas boas recordações.

segunda-feira, 13 de março de 2017

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

In/fidelidades

Ficamos chocados com a facilidade com que outras pessoas contam as suas infidelidades ou de conhecidos. No trabalho, com o colega do ginásio ou amigo de longa data. Como foram apanhados pelo marido ou pela mulher. Como estas coisas são tão normais.

Pode ser apenas um caso de muito paleio, mas a normalidade com que isso se discute deixa-nos estupefactos.

Como encarariam a forma como nós temos as nossa aventuras? Certamente ficariam ainda mais chocados, como se fosse de alguma forma pior.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Massagem

Sempre gostei de massagens.

Deitado na marquesa, num ambiente calmo, musiquinha chillout e óleos aromáticos no ar enquanto a massagista faz o seu trabalho é muito relaxante. E estar ali quase nu, quase só com toalha, pode ser também muito excitante... Frequentemente imaginei o que seria se a massagem tivesse algo mais.

Investiguei. Fui ter às massagens tântricas. Ao lingam. Falei com a A. e decidi experimentar. 

Marquei num sitio com boas reviews. Estava nervosíssimo quando cheguei. Optei por uma massagem para iniciantes, com a massagista em topless.

Despi-me, tomei banho e deitei-me no tatami. Pouco depois ela entrou no quarto, tirou o robe e mesmo com a pouca luz pude ver o seu corpo. Sentia uma excitação enorme, ainda que o corpo ainda não correspondesse.

Começou a massagem. Como uma massagem perfeitamente normal, com toques nas costas, pescoço e pernas, mas por vezes a mão passava por onde nunca outra massagista tinha passado. Muito ao de leve a início, que me fazia antecipar cada um destes toques que tão bem sabiam...

Encostou-se a mim. Senti os seus mamilos a subir e descer as minhas costas.

Os toques tornaram-se mais frequentes. Deixou de parecer acidental para passar a ser uma parte plena da massagem.

Verteu óleo quente por cima e espalhou com a mão. Sentia-me a flutuar. A gozar cada segundo. A massagista sabia bem o que fazia, parecia conhecer o meu corpo melhor que eu. O modo como me tocava era sublime, e era uma delícia sentir como me segurava, espremia, acariciava e até espalmava...

Após quase uma hora de massagem, a música tornou-se mais ritmada. Senti que era altura de aproveitar e parei de me conter. Não levou quase nada a explodir com aquelas mãos hábeis. Senti todo o corpo contrair, soltar alguns gemidos, dobrar os dedos dos pés, e sentir alguns pingos cair também por cima de mim... A massagista abrandou o ritmo e deixou-me gozar bem o momento...

Adorei... ❤️